Vamos revisitar o hino de guerra insanamente jingoísta do artista inaugural Toby Keith, The Taliban Song

Esta manhã, os responsáveis ​​pela contratação de talentos nos eventos de posse do presidente eleito Donald Trump anunciado (prematuramente, como se vê ) que finalmente encontraram algumas pessoas dispostas a fazer o trabalho. Tendo falhado em garantir Justin Timberlake, Bruno Mars, ou mesmo Garth Brooks, a maior contratação do comitê até hoje é a estrela country de 55 anos Toby Keith, que uma vez co-escreveu uma canção raivosamente nacionalista sobre a guerra no Afeganistão chamada The Taliban Song .

Sou apenas um pastor de camelos do Oriente Médio de meia-idade / Tenho uma caverna de dois quartos aqui no norte do Afeganistão, Keith começa em The Taliban Song, cuja versão ao vivo aparece em um álbum de platina quádruplo de 2003 chamado —prepare-se para gemer— Choque e todos vocês. Mas então o Talibã se move e os humildes afegãos de Keith imediatamente começam a orar por uma intervenção violenta dos EUA. Os americanos jogam algumas bombas, e agora as coisas são passeio, camelo, passeio. E para um tiro de despedida: Nós daremos um adeus justo / E daremos uma grande ereção para / O Talibã. A multidão grita quando Keith descreve os líderes do Iraque e do Irã tremendo nas botas porque George W. Bush os chamou de filhos da puta:

Tem até vídeo de Keith cantando The Taliban Song em shows da USO no Afeganistão e no Iraque, sempre com pelo menos um dedo do meio no ar:



Já se passaram 15 anos desde que os EUA invadiram o Afeganistão. Os planos de Trump para o envolvimento americano no país não são claros . Talvez ele possa pedir a opinião de Toby Keith.

Sobre Nós

Notícias Musicais, Críticas De Álbuns, Fotos De Concertos, Vídeo